sábado, 29 de setembro de 2012

Ilusão


Iludimos todos os dias para iludir nós mesmos e todos à nossa volta, a ilusão, causa imagens e sensações em nossos pensamentos e as palavras iludem o verbo e o verso dito que nem sempre foi escrito.

Ilusão é mentir, é esconder a imagem real, a palavra ideal, iludir é fingir, é demonstrar algo que não existe em você, quando nos iludimos, nos sentimos bem, mas depois vem á decepção, a ilusão, machuca sonhos e coração.

Machuca os ilusitados, os ilusionistas, machuca a cicatriz que fica e a ferida que machuca a consciência inconsciente da ilusão. Iludimos tudo e todos, mentimos, nos escondemos atrás de nossos medos para nos iludirmos e iludir a todo momento. Nossas máscaras tem figuras de ilusão, nossa decepção é a falta da verdadeira face da realidade.

A verdade sempre foi escondida para disfarçar a realidade de cada um, usamos da ilusão para sermos felizes, usamos da ilusão para sobreviver ao meio de ilusionistas, usamos da ilusão para acreditar em nós mesmos.

A todo momento nos escondemos atrás da máscara iludida, das mentiras malditas e das verdades não escrita, doce ilusão que salga o paladar de cada um que se ilude com a ilusão, com ilusionistas e iludidos.

Ô ilusão, você também está aqui, posso escrever ou você vai iludir minhas palavras?

Não ouço sua resposta, não vejo a ilusão presente aqui, mas tenho medo de ser iludido com este texto e descobrir que tudo aqui escrito, é ilusão.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Meus passos


Por todos os caminhos que percorri deixei meus passos para trás, nunca voltei para procurá-los e muito menos procurei saber por onde eles andam ou estão andando, se ficaram ou continuaram, se sumiram ou se apagaram, e assim pensando eu lhe pergunto. Você sabe onde estão os meus passos?

Acredito que não, pois nem eu quem os criei sei onde eles ficaram, as marcas que deixei pelo caminho, profundas na areia e supérfluas no asfalto e nas calçadas, aquelas que deixei no cimento fresco, estão lá, todos passam olham e não sabem de quem é. Se eu não voltar e olhar, nem eu, saberei que são minhas e ficarão lá marcadas sem nome e nem identidade.

Durante nossa vida deixamos marcas, sejam elas em pegadas ou em palavras, sejam em atitudes ou omissão, são marcas, marcas que ficam pelo caminho. Durante nossa vida colecionamos marcas deixadas, algumas que marcam, outras que passam sem ser notadas.

Assim é a nossa vida, uma passagem de ida que nunca terá volta, e se existir, a volta, precisamos procurar as pegadas deixadas, pois o caminho de cada um de nós, será sempre o mesmo, mas as atitudes deverão ser mudadas.

Continuo andando para deixar minhas marcas, não desisto de seguir por vários caminhos, sejam eles certos ou incertos, sejam corretos ou incorretos, o que prezo, é pelas marcas que ficaram, e pelo suor que escorreu pelo meu rosto e me fez conhecer o gosto salgado de cada lugar que eu conheci e me fez chegar até aqui.

Não sei até onde vou chegar com os meus passos, só sei, que colecionei; pequenas, médias e grandes pegadas, e em cada uma delas, existem uma marca, e essas marcas estão na vida da minha família, dos meus amigos e todos que eu conheci, essas pegadas não estão na sua visão, estão no imaginário de cada um de nós.

Essas marcas que deixei, nada mais são do que pegadas, pegadas que ficaram pelo caminho, que sumiram com o vento ou ficaram junto ao tempo, se irei voltar e procurá-las, eu não sei, o que sei, é que meu caminho começa quando termina o meu viver.

Todos os caminhos nos levam pra um só lugar, por isso, siga o seu, deixe suas marcas sem olhar pra trás, se precisar voltar, volte e percorra com os passos mais firmes, porque na vida ás vezes precisamos dar um passo para trás para dar dois para frente.

Por isso...caminhe!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails