sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Meu descanso anual

Depois de um ano bem tumultuado de muitas mudanças e transformações, e claro, pra melhor, pois este ano estou tendo o prazer de aprender com dois novos seres que estão habitando a nossa casa, Lorenzo e Benicio, meus filhos, meus amigos.

Foi um ano de muitas novidades, pois a cada dia podemos aprender algo novo, as mudanças do nosso dia a dia, é constante, não é mais aquela mesma rotina e as transformações acontecem no passar dos dias, pois, todos os dias agora tem uma novidade, tem um sorriso diferente, tem uma fala a mais, um carinho novo, uma risada gostosa e um olhar apaixonante, hoje tudo é novo e ainda será muito mais.

Confesso que é um pouco corrido pra mim, pois, moro em uma cidade e trabalho em outra, faço esse vai e vem todos os dias, à noite, vou para faculdade e encerro o dia apenas colocando os dois para dormir, ouço, apenas resmungos durante a noite, mas só tenho o prazer de ver o sorriso dos meus meninos na manhã do próximo dia, onde, começa a minha rotina que não é tão rotineira assim, vejo o bom dia nos seus olhos e sonho com o boa noite deles todos os dias, mas posso dizer que é muito bom estar aqui com vocês.

Hoje entro em férias do trabalho e tiro férias da faculdade por conta própria, pois, quero poder rolar com vocês e transformar o nosso mês em uma semana mágica, para podermos sorrir e cantar, pular e dançar, abraçar e beijar.

Saio de férias e desligo a minha conexão com o mundo virtual, nestas férias quero acumular histórias, fotos e tudo que eu puder aprender de novo com os meus professores, Lorenzo e Benicio, meus filhos, meus amigos, minha vida, meu amar.

Até a volta!

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Tudo que pensei em falar e não falei porque me calei



Se eu digo o que penso em dizer, penso o quanto irei calar você, você que não tem coragem de dizer o que tem vontade, e por isso, se esconde atrás das palavras não ditas. Eu falo para você e vejo nos seus olhos a tristeza de ouvir o que eu penso e que você não tem coragem em dizer, por isso, falo por você e por todos que se calaram por não ter coragem de dizer o que pensam.

Calam-se todos os dias as vozes que tentaram falar, calam-se vozes que não deixaram falar, calam-se vozes que falaram e não foram ouvidas, calam-se vozes, pessoas e sonhos. Eu falei o que você não queria ouvir e por isso estou aqui a escrever o que falei e o que tentei falar e acabou ficando para trás.

Palavras são jogadas e engolidas, palavras que ficam guardadas nas margens da ignorância sábia da sua consciência descansam. Inconscientes palavras que ficam escritas em uma folha em branco próximas ao abismo da solidão. Palavras que não são aproveitadas e falas que não são ouvidas, apenas são jogadas no canto da sala e ficam à espera das suas palavras.

Eu gritei para você ouvir e ninguém me ouviu, todos estão surdos na multidão, á multidão não fala mais e não ouve mais, só segue o caminho que os olhos do outro caminha. Doutrinaram as palavras, o pensamento e os sentimentos. Doutrinaram minhas escolhas, meu pensar e minhas palavras. Quero falar, mas ninguém me ouve mais, quero escrever, mas não escrevo mais, sabe porque? Porque eu não me ouço mais, dentro de mim, vive outro alguém a me guiar, a conduzir minhas palavras e assim não digo mais o que penso, apenas, ouço vozes no silencio.

Vozes do alem,

Vozes a quem,

Vozes do bem.

Minha voz, sua voz, nossas vozes vivem a sussurrar, a declamar sonetos ocultos, poemas obscuros e frases confusas. O texto que escrevo é contrário ao seu pensar e por isso faço do confuso uma forma de me expressar, pois a minha fala ficou a desejar. Mesmo que tente dizer não irá conseguir me ouvir, pois o vento trouxe uma nova voz, a voz do sonhar, não vou me calar, mesmo sabendo que você não irá ouvir, mas continuo a cantar.

Hoje eu caminhei sozinho em um campo verde de palavras, onde colhi todos os verbos a lhe falar, mas você não os ouviu novamente, por isso me calei, para mais uma vez não dizer o que pensei, porque você mais uma vez não irá me ouvir.

Calo-me novamente.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Salvando a gentileza e a educação

Procura-se pessoas gentis e pessoas educadas.

Requisitos: Seres Humanos de todas as raças, credo e opção sexual.

Trabalho: Propagar o bem, a educação e a gentileza.

Remuneração: O amor compartilhado e retribuido.



Depois deste belo filme, paramos, pensamos e podemos ver o quanto somos indelicados, frios, não gentis e mal educados. Fico pensando o que nos move a ser gentis? Será que é quando recebemos algo de bom procuramos retribuir ou a gentileza está relacionado com a educação de cada um?

Acredito que os dois atos podem gerar a gentileza, ser gentil faz que o ato contamine a outra pessoa e assim por diante. O profeta Gentileza é o idealizador desse ato, pois, ele sempre disse; gentileza gera gentileza e isso não tem como contestar. E também acho que a educação faz que a gentileza seja lembrada, pois, pessoas educadas manifestam gentileza ou não?

Eu acredito que está faltando seres humanos gentis, está faltando seres humanos educados ou não está? Será que não estamos mais preocupados em conquistar o material do que estar conquistando o ser humano? Não estamos deixando de lado a nossa gentileza por que o nosso tempo é curto? Não estamos deixando nossos filhos em companhia da TV, do computador, do Vídeo Game? Será que nós como seres humanos estamos perdendo nossos sentimentos? São muitas perguntas, eu sei. Mas é o único jeito que tenho para poder encontrar as respostas por tantas indelicadezas e insanidades que vejo no mundo que vivemos.

Eu não quero isso para os meus filhos e por isso luto a cada dia para tentar mudar pelo menos a minha volta, tento fazer pelas pessoas que eu convivo todos os dias, a praticar hábitos que estamos esquecendo, e aí, você me pergunta, como?

Simples, praticando todos os dias hábitos como dizer um bom dia, uma boa tarde, um obrigado e um com licença, afinal, são palavras agradáveis para abrir caminhos e oportunidades.

Tivemos a oportunidade de fazer esse trabalho o ano passado com o projeto EducAção – Uma ação do bem, onde saímos as ruas da cidade de Araraquara e passamos a cumprimentar as pessoas na ruas, foi impressionante ver que todos se assustavam em vem tal ato, pois ninguém mais está acostumando a fazer isso. Os pais já não ensinam mais os seus filhos a dizer bom dia, culpados sim, são os pais, e não tenho constrangimento nenhum em dizer, pois é isso que acho, e é isso que faz que o mundo onde vivemos, torne cada vez mais frio e indelicado.

Este vídeo mostra nossa ação feita o ano passado para um trabalho da faculdade, mas nós, como cidadãos não vamos parar, estaremos este ano novamente incentivando bons modos entre as pessoas e vamos continuar levantado essa bandeira; EducAção – Uma ação do bem.


Eu, não vou desistir e espero que você não desistir também, juntos somos melhores do que sozinhos.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails