sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Sementes que semeiam a existência


Morte, medo de falar, medo de pensar.

Morte a única certeza da vida.

Uns a temem, outros a aceitam, mas todos ainda não se acostumaram com a perda, pois perder alguém ou perder algo na vida nos faz sentir perdedores e ser perdedor ninguém quer ser, não é verdade?

O fim de um relacionamento é mais cruel para quem é deixado do que para quem deixa, a perda do emprego é mais triste para quem é dispensado do que para aquele que pede a dispensa, como também, não conseguimos aceitar o sepultamento de alguém querido e amado, pois a partida nos deixa frustrados e temerosos com o amanhã.

Quando meu Pai partiu, ou melhor, quando foi plantado em sua cova, todos nós ficamos perdidos, pois ter que se despedir do nosso amado e querido Pai não foi fácil. E ainda imaginar que não iríamos mais vê-lo foi pior ainda, já se passaram longos cincos anos e ainda não nos acostumamos e acredito que não iremos nunca nos acostumar, mas o melhor a pensar é que iremos um dia nos encontrar novamente, mas, enquanto isso, faço minhas visitas freqüentes em seu túmulo onde águo a sua semente com minhas lágrimas, mas essas lágrimas não são lágrimas de tristeza e sim lágrimas de amor e cada minuto com você cultivo sua existência e isso me faz refletir.

Quando plantamos uma semente estamos sepultando-a, não estamos perdendo-a e nem se despedindo desse futuro fruto ou de uma futura sombra. Se fizermos uma pequena relação com a morte, podemos pensar quê, fomos um dia semente, viramos árvore e demos frutos, sendo assim, um dia viraremos semente novamente e os nossos frutos, árvores ou sementes continuarão regando a nossa existência, ou não?

Regue com lágrimas de amor a semente da sua existência e saiba que tudo isso nada mais é do que o ciclo de renovação da vida com o plano espiritual.

Feliz aquele que com as perdas constrói as oportunidades para ser feliz.

Seja sempre FELIZ!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Pouca Arte – Muitas Idéias por Gui Venturini

Dando sequência ao ultimo post onde falo sobre diferenças e da igualdade que vivemos hoje não só na moda, como também no comportamento, venho apresentar pra você mais um trabalho da minha autoria.

O primeiro trabalho apresentado aqui foi as Telas Digitalizadas Pouca Arte e agora as Camisetas Coloridas Pouca Arte onde englobo temas como música, frases, abastrato, comportamento, natureza, símbolos dentre outros.

As camisetas Pouca Arte foge completamente do tradicional e inspira o lado divertido e alegre de cada um.




Camisetas Pouca Arte, alegria para o dia-a-dia, cores para inspirar suas idéias e bom gosto em combinar desenho e atitude.

Na hora de presentear ou se presentear lembre-se que você pode ser diferente.

Clique aqui e conheça toda a coleção de camisetas Pouca Arte – Muitas Idéias

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

A diferença de cada um...


Esta na forma de agir, pensar e viver, e não em ser um patinho amarelinho ou pretinho, isso por que, todos são patos e patos são patos.

Ultimamente estamos vivendo em um mundo muito igualzinho, de pessoas iguais, de pensamentos iguais, de comportamentos iguais, de atitudes iguais e principalmente de uma modinha imposta e igualitária.

A sociedade que vivemos vem ditando regras e cada vez mais existe seguidores para esse modismo ridículo e exagerado. (não estou jugando ninguém, pois respeito o pensamento de cada um.)

Porque queremos ser iguais se podemos ser diferentes?
Porque quando somos diferentes somos taxados de aparecidos e loucos?
Porque só julgamos e não entendemos as atitudes que não as temos?

Bom, são perguntas que eu faço e eu mesmo respondo, pois esse comportamento me interessa e muito.

R1- Queremos ser iguais porque morremos de medo de ser questionados e não fazermos parte da tribo que estamos acostumados a freqüentar.

R2- Geralmente somos aparecidos porque temos atitudes loucas e não temos medo de ousar e muito menos estamos preocupados em fazer parte de tribos.

R3- O ser humano julga, pois é mais fácil julgar do que fazer algo diferente que faça bem para si mesmo e para um todo, neste caso, pensamos exatamente nos nossos interesses e não no coletivo. Oh gente, vivemos em sociedade!!!

Muito chama a minha atenção esta nova geração taxada de COLORIDOS, ou geração Z que está na moda falar, ou seja, a nova geração que vem misturando cores e fazendo um rock agressivo instrumentalmente e singelo em composição nada mais é do que uma mistura de comportamentos setentistas e oitentistas que vivemos em nossas gerações, pois já passamos pela Geração X eY estamos agora caminho para a X Y Z uma mistura de tudo que já foi vivido.

Veja os trajes e o visual dessa nova galera que estão sendo chamados de COLORIDOS, nada mais é do que uma mistura de punk, new wave, gótico e glan metal, pois quem viveu os anos setenta e oitenta, viu e até participou destes movimentos sabe muito bem do que eu estou falando.

Esse o um novo movimento que temos que entender e passar a respeitar, pois existe atitude, existe uma mistura de estilos, mas como disse o poeta, que na vida nada se cria, tudo se copia, esta nova geração está copiando o que pais e tios viveram no passado, se hoje são diferentes para você, ontem você também foi, mas se não foi, perdeu uma grande oportunidade de ser.

Não quero aqui impor nada e deixo claro que esse raciocínio e pensamento é exclusivamente meu, não sei se certo ou errado, mas é o que penso, falo isso para os conservadores que neste momento estão torcendo o nariz, por isso, coloco este pensar para você refletir e junto coloco a parábola “O Prato de Arroz” que gostaria de dividir como você;

"Um sujeito estava colocando flores no túmulo de um parente quando vê um chinês colocando um prato de arroz na lápide ao lado. Ele se vira para o chinês e pergunta:

Desculpe-me, mas o senhor acha mesmo que o seu defunto virá comer o arroz?

E o chinês responde: Sim, geralmente na mesma hora que o seu vem cheirar as flores !

"Respeitar as opções do outro "em qualquer aspecto" é uma das maiores virtudes que um ser humano pode ter. As pessoas são diferentes, agem diferente e pensam diferente.

Nunca julgue. Apenas compreenda".

Juntamente com essa parábola vem a música da Rita Lee, Balada do Louco;

“Dizem que sou louca
Por pensar assim
Se sou muito louca
Por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz!
E não é feliz!
Não é feliz...”

Por isso que devemos respeitar sempre o pensamento, as atitudes e o comportamento de cada um, pois, somos semelhantes fisicamente, mas bem diferentes no modo de agir, pensar e viver. Raul Seixas foi taxado como louco e drogado, mas teve a coragem de ser diferente como muitos outros seres humanos também tiveram, mas cuidado, pois Jesus Cristo foi santo e diferente, mas no seu caso foi pregado em uma cruz.

Diferenças existem e devem ser respeitadas, independente de sexo, raça, opção sexual e religião, isso por que, todos nós somos seres humanos e seres humanos são seres humanos.

"Vocês riem de mim por eu ser diferente, e eu rio de vocês por serem todos iguais" (Bob Marley)

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

O Parto


Nascer e conceber a vida a um ser humano que vive em um mundo diferente do seu que na realidade você já viveu e não se lembra e nunca trouxe notícias concretas desse mundo me faz refletir.

O Planeta Ventre onde eu já vivi e você também no começo da nossa transformação como ser humano é um mundo não habitável e muito menos escrito na minha memória. Quando partimos do Planeta Ventre e chegamos ao Planeta Terra alguma coisa acontece, pois não nos lembramos onde estávamos e muito menos como era esse lugar.

O Parto acontece e a palavra que o descreve nos remete a partir para algum lugar, para algum mundo, para outra atmosfera, partilhar o amor, dividir a vida, por isso, que a palavra Parto apesar de dar o significado de Dar a Luz ou Ato de Parir gera um conflito e me faz pensar e refletir sobre.

Dar a Luz, mas essa luz é apagada da minha memória, não lembro onde estava, de como era o lugar que eu vivia antes de chegar aqui, por isso, que Parto tem relação com Partir, ir para algum lugar.

Se formos um pouco mais na essência da palavra, Parto tem o significado também de inicio da vida, mas se eu Parto, eu estou indo, estou partindo, não estou iniciando a vida, pois, minha vida já foi iniciada no ventre da minha mãe, posso entender que estou iniciando a minha vida aqui na Terra e não iniciando a minha vida como ser humano.

Mas também podemos usar a palavra Parir, que também irá chocar mais uma informação, pois, Parir, nos remete a junção das palavras Para e Ir que se juntadas se tornam Parir, ou seja, Para Ir a algum lugar, Para Ir a algum mundo que não habito ou não vivo.

Por isso que o ato do Parto ou de Parir continua códigos indecifráveis e bem longe de nós seres humanos normais entendermos.

Gerar uma vida é tentar entender a vida que vivemos no mundo que crescemos.

O texto acima remete a uma reflexão e não ao seu significado ou regra na Língua Portuguesa, foi feito uma analogia com as palavras parto e parir.

Significado da palavra;

Parto – do Latim parere, “trazer, dar à luz”. Daí a palavra parens, “aquele que traz”, que gerou a nossa palavra parente, e que em Latim designava “pai, mãe ou ancestrais”. (Origem Da Palavra - Site de Etimologia)

Parto – o acto de Parir (Dicionário da lingua portuguesa)

Parto (Dicionário Priberam da Língua Portuguesa)
s. m.
1. O acto! de parir.
2. O feto saído à luz.
3. Natural da antiga Pártia.
4. Fig. Qualquer produção física.
5. Qualquer produto da inteligência
6. Acontecimento que se espera

Parto - s.m. Ato de parir, de dar à luz. / Fig. Esforço desmedido, o resultado desse esforço.

Parto - s.m(o).Conjunto de fenômenos físicos que provocam a expulsão da criança, da placenta e das menbranas fetais, ao final da gravidez. (Dicionário Informal)

A palavra mais remota ligada a estas é o Pré-Indo-Europeu per-, “trazer à frente”. (Origem Da Palavra - Site de Etimologia)

Imagem: Celestial Forest - Fractal Art by Vicky Brago-Mitchell 

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails