quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Fechando o Ano de 2009.



Estou finalizando mais um ano ou menos um, não sei!

Cheguei ao final de mais um ano e agradeço por estar aqui ainda, pois aqui posso escrever, aprender e conhecer.

Foram 12 meses ou 365 dias ou 8.760 horas ou 525.600 minutos vividos, todos esses números representando um ano, com alegrias e tristezas, com vitórias e derrotas e com sonhos e pesadelos. Posso dizer que foi um ano muito bom, mas poderia ter sido melhor para todos nós.

Tudo vai começar novamente, nada muda e tudo se repete só o ano que soma mais um e menos um na vida de cada um. Estamos indo ao encontro de mais um ano enquanto isso aguardamos o que vem por aí, novidades ou as mesmas notícias?

Acredito que sem muitas novidades e sim com muitas notícias repetidas, mas para fechar o ano com chave de ouro, conheci um poema escrito por Renata Arantes Villela, na rede soltaram como se fosse um poema de Mário Quintana, mas não é, é da própria Renata, que escreveu lindas palavras com o coração e a emoção é muito grande e nos faz pensar ainda mais sobre o que estamos fazendo aqui e o que podemos melhorar em nossas deficiências mesmo sendo perfeitos fisicamente, mas muitas vezes imperfeitos em viver a vida.

Deficiência

"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.

"Louco" é quem não procura ser feliz.

"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria.

"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão.

"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

"Diabético" é quem não consegue ser doce.

"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.

E "Miserável" somos todos que não conseguimos falar com Deus.

Tenha um novo ano com novas atitudes e que pequenos gestos possam mudar tudo ao seu redor.

Feliz 2010 e fica aqui a música de Nando Cordel, Paz pela Paz, para ilustrar esse momento.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Quanto tempo ainda temos?



Para amar, para viver, para escrever, para sonhar, para sorrir, para acreditar, para abraçar, para beijar e para dizer obrigado.

Talvez esse tempo seja curto ou talvez extenso, não sei, só sei que tenho pouco tempo para expressar em palavras todos os meus sentimentos. Sentimentos esses que ficam guardados no meu pensamento que pensa em dizer, mas nem sempre diz.

Posso dizer; amor, como eu te amo, como posso dizer; o viver é a arte de amar, mas escrever é minha forma de me expressar e sonhar.

“Meu sorriso feliz acreditou em um abraço de consolo se iludiu com o beijo e se decepcionou, pois o beijo era apenas um desejo e não uma expressão de amor”.

Decepção, talvez sim, talvez não, eu não sei, o que eu sei ou penso que sei e tenho curiosidade de saber é quanto tempo ainda temos?

Um dia, uma semana, um mês, um ano ou uma eternidade, sei lá, a pergunta foi feita a você, você pode me responder?

Não?

Volto á perguntar, quanto tempo ainda temos?

Não sabe?

Também não e por isso continuo aqui escrevendo, pensando e imaginando o que pode acontecer em um milésimo de segundo ou em uma hora, muitas coisas que nem imagino ou talvez até imagino, mas, não penso em falar.

Pode até ser que eu fale, mas hoje agradeço por estar aqui, amanhã não sei, pois o dia de hoje é eterno, o amanhã é apenas um sonhar que pode se realizar ou não.

E por isso eu lhe pergunto novamente, quanto tempo ainda temos?

sábado, 26 de dezembro de 2009

O passar do tempo


Dona Zinha

Passa o tempo e eu começo sentir o meu cansaço,
O tempo passa e vejo no espelho os cabelos brancos e escassos.
Passa o tempo e as marcas desenham o meu rosto amassado,
O tempo passa e a visão fica fraca e um pouco gasta.

A velhice vem chegando,
Meu comportamento fica um pouco estranho,
Do rock ouço erudito e minhas roupas
Ficam um pouco mais sérias.

E assim o tempo passa...

A minha casa com as paredes rachadas,
O meu carro com a pintura desgastada,
O cachorro deitado na minha sala e eu,
Que ouvia Cd e Mp3 passo á ouvir os meus Lps.

Estou ultrapassado ou vivendo do passado?

Não sei.

Só sei que o tempo passa e mesmo na minha
Jovem velhice, sinto-me um velho otimista.
Novas crianças vem por aí, novos ritmos,
Novos políticos e novos dias de pão e circo.

Não sei se vou ou se fico,
Estou sentado na cadeira que não é de balanço,
Assim eu me canso e espero o meu descanso
Ou será o meu espanto?

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Unindo pessoas



Unir pessoas e juntar seres humanos é o que tento fazer no meu dia-a-dia, pensar e ao mesmo tempo expressar meus sentimentos é o que faço. Sou um ser humano que ás vezes acerto e muitas vezes erro. Imperfeito, mas perfeito diante do amor com os meus irmãos, não, eu não sou evangélico, nem cristão ou muito menos ateu, eu acredito em Deus e na força que natureza rege sobre nós, chamo de meu irmão os seres humanos que falam com o coração.

Seres humanos que nos ensinam a cada dia a ser diferentes na igualdade de cada um, pois somos todos iguais, mas ao mesmo tempo diferentes e essa diferença nos faz pensar no amanhã para tentar se igualar no dia-a-dia.

Chego ao final de mais um ano e junto comigo você, meu irmão, que sempre passa por aqui, deixa seu comentário ou não, mas sempre está presente, lendo, questionando, não concordando e ás vezes se emocionando, cada palavra escrita aqui, tem uma mistura de sentimentos, ou seja, amor, sensibilidade e bondade que resulta em paz de espírito, que aprendi a ter escrevendo, ouvindo e sentindo.

Quero que essa paz sempre esteja presente no meu e no seu dia-a-dia e que todos os seres humanos que aqui passarem, possa senti-la.

Estar presente mesmo não os conhecendo pessoalmente me fez aprender e admirar dois seres humanos que aqui se expressam, me ensinam e me fazem acreditar ainda mais no ser especial.

Sim, eles são seres especiais, seres humanos especiais e irmãos especiais, que por incrível que pareça nunca nos olhamos nos olhos e muito menos nos abraçamos, mas sempre estão presentes no meu dia-a-dia curando com a dose certa de amor.

Hoje quero prestar uma homenagem ao casal Haroldo e Pri, dos Blogs Panacea e Olhos Verdes que estão sempre presentes me ajudando a escrever boa parte dos meus sentimentos, não quero ser injusto com nenhum dos meus leitores, isso porque vocês também são de suma importância no dia-a-dia da minha linguagem, mas não poderia deixar de escrever e agradecer esses meus irmãos que adotei com membros da minha família.

Haroldo e Pri, valeu pelo companheirismo desse ano e que possamos estar juntos nos próximos, sucesso sempre.

Um obrigado especial a você que faz da minha linguagem, a sua, e que de alguma forma nos faz mudar um pouquinho, pois somos seres humanos com direito a acertos e a erros também.

Um Feliz Natal com muita luz, paz, sucesso, sorte e amor, que a cada ano possamos mudar e aprender que para ter alegria precisamos viver um dia de cada vez e ter a nossa volta seres humanos especiais.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Respeitável público


Desenho de  Itaiana Battoni

Essa frase é inconfundível, quando você ouve ou lê já sabe que a tenda vai ser armada e o circo vai ser montado, recentemente lendo um texto no blog do Tico Santa Cruz onde ele descreve toda sua tara pelo circo, me fez lembrar duma passagem minha pelo circo, no texto do Tico que você pode ler clicando aqui, ele fala da sua mente pervertida ou melhor, dos olhos que seguem as partes intimas das acrobatas e dos acrobatas que usam roupas coladas ao corpo ou em alguns momentos pequenos biquínis, acredito que não passa só pela mente dele e sim pelos olhos de todos (homens e mulheres) que mesmo não querendo olhar acabam seguindo pelo o instinto, posso até está errado de estar generalizando, mas acredito que nem todos gostam de confessar esse tipo de instinto, mas chega de pensamentos eróticos e vamos para a minha passagem pelo circo.

Era o último dia do circo no bairro, pois esse circo circula por todos os bairros da minha cidade e por incrível que pareça faz o maior sucesso, pois a criançada adora, muito bem, fazendo o papel de Pais de aluguel, eu e minha digníssima esposa, fomos escalados para levar três primos para assistirem o circo, isso porque eles já tinham visto mais que quatro vezes só naquele bairro, mas vamos lá treinar um pouquinho para ser pai e mãe.

Chegamos ao circo e logo de cara já vi que era um circo bem pobrezinho, mas como fazia muito tempo que não ia ao circo estava super empolgado para ver as apresentações, entregamos os bilhetes e já fomos nos acomodando, todos sentados aí vem a palavra mágica, Respeitáááável Públicooooo, procurei o locutor e nada, pois ele era igual ao sombra do programa do Ratinho, você só via a silhueta do figura, mas vamos lá, vamos ver a primeira atração, e aí vem, o equilibrista, fez o seu número rapidinho e saiu, logo em seguida, o cuspidor de fogo, péraí, esse cara não é o cara que tava recolhendo os bilhetes? Sim, era ele mesmo, e aí vai, cuspindo fogo para todos os lados e a platéia com seus sussurros vibravam com as labaredas do rapaz, aí chega o grande momento, o palhaço que era a grande atração, neste momento o locutor anuncia o famoso palhaço e a criançada vibra, imagina aquela gritaria, uma verdadeira festa, parei e pensei, que bom que ainda existe essa magia e as crianças ainda não estão perdidas, assistindo tudo isso já fiquei super fã do tal palhaço que eu ainda nem o conhecia.

De repente o tal palhaço entra no picadeiro, não, não era um picadeiro, era um palco e ele já veio com seu violão e começa a cantoria, nesse momento, adorei, adoro música, e o palhaço vai cantar também, poxa vim ao lugar certo, e assim foi, músicas infantis bem criativas e entre uma e outra, algumas palhaçadas e todo mundo caindo na risada, claro que algumas eram um pouco forçadas, mas estamos no circo, vamos dar risada. Antes do intervalo o palhaço anuncia uma peça teatral e o seu picolé, picolé? È isso mesmo, o palhaço tinha um picolé com o seu nome, e a propaganda foi feita e a criançada queria o quê? Claro, o picolé do palhaço, vamos comprar o picolé, um fila imensa, quando chegou a nossa vez, já não tinha mais picolé, poxa, o picolé é bom mesmo, mas os priminhos eram conscientes e aceitaram uma pipoca e um refrigerante, afinal era o que eu comia e bebia quando ia ao circo, voltado ao espetáculo, todos sentados, o locutor (o sombra) anunciava a peça teatral, que agora não me lembro o nome, mas tinha haver que todos podiam entrar no céu, menos o palhaço, nesta hora me deu frio na barriga, será que tem haver com religião??? Sim, meus amigos, eu estava certo, tinha tudo haver com religião, até aí tudo bem, mas não gostei, porque fui ao circo e não a igreja, mas vamos assistir, a peça rola e chega ao final, sinceramente gostei, achei bem legal até a hora que o tal palhaço resolveu pregar, aí meus queridos, tudo que tinha sido construído até aquele momento desmoronou, achei de uma falta de sensibilidade tão grande que não queria mais ficar, mas a criançada estava feliz e eu não poderia estragar este momento, então, se já não bastasse, o palhaço, resolve fazer uma prece e convoca todos para darem as mãos e rezar, aí foi que eu achei o maior absurdo, pois naquele momento eu passei a entender um pouco do que estava acontecendo, todo o sucesso do palhaço é porque ele freqüenta uma igreja da cidade e automaticamente ele faz sua propaganda na própria e assim todos vão, afinal somos todos irmãos.

Acabando as preces fomos embora, a criançada chorando porque acabou o espetáculo e o circo iria para o outro bairro, claro que eu me contive consolando as crianças, deixei-as em casa e fui para minha. No outro dia pela manhã ligo o rádio e vem a notícia; Circo é assaltado após espetáculo, logo aumentei o volume para saber, sim, era o circo do tal palhaço do picolé, naquela noite o circo foi roubado, fiquei chateado, pois o palhaço do picolé é um trabalhador e não merecia isso, mas aconteceu, aí meus amigos chego a uma conclusão, mesmo pregando e rezando ninguém está protegido dos bandidos de plantão.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Inimigo discreto


Fim de ano, todos se confraternizam, as pessoas mudam, ficam mais sensíveis e muito mais caridosas, não sei o porquê, de tudo isso. Pelos ensinamentos dos meus pais, ser sensível e caridoso são princípios que devem nos acompanhar no nosso dia-a-dia, por isso, que não entendo toda essa mudança nos seres humanos, apesar quê, acho maravilhoso a mudança de cada um, mas, não só no final do ano e sim, o ano todo.

Outra coisa que me incomoda e muito, é o famoso Amigo Secreto, feito nas confraternizações de final de ano, que prefiro chamar de “Inimigo Discreto” isso porque se você parar para analisar as pessoas que convivem com você o ano todo que mostram toda uma simpatia ou antipatia por vossa pessoa revela-se no tal evento como um Inimigo Discreto.

Em primeiro lugar quando os “amigos” vão até a frente para revelar o seu “amigo” sempre tem uma piadinha de mau gosto, pois é com as brincadeiras que falamos muitas vezes a verdade, e assim vai, um puxando a língua do outro até o final. Depois dos “elogios” vem ás brincadeiras de mau gosto com os companheiros de trabalho, isso sem falar dos presentes que ás vezes constrange as pessoas.

Amigos, não façam isso, não façam as pessoas o que não queiras que façam com você, entenda que confraternização, vem dizer união, fraternidade e amizade, não queira ofender o seu irmão perante os outros, pois você não gostaria que fizesse isso com você ou gostaria? Creio que não.

Por isso vamos ser mais racionais e sensíveis, vamos cuidar do nosso amigo para que ele não vire um inimigo e que as brincadeiras sejam apenas uma feliz brincadeira e uma forma de agradecer o companheirismo que existe no dia-a-dia do seu trabalho ou com sua família.

“Quem tem amigos nunca está sozinho”

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Pela Janela



Pela janela vejo carros passando com toda pressa.

Pela janela vejo o terreno baldio onde o mato já não é mais grama,
onde o cavalo se esbanja e os pássaros se alimentam.

Pela janela vejo o trânsito parado e ás vezes exagerado, pela
janela fico pensando o quanto somos apressados.

Pela janela vejo o tempo passar, o vento a balançar a copa das árvores,
o mesmo vento que leva as folhas que você pensa em varrer.

Pela janela, vejo pessoas caminhando e pensando,
algumas preocupadas outras entusiasmadas.

Pela janela vejo o sol nascer e se esconder,
vejo um céu estrelado e a lua no alvorecer,
conto as estrelas e volto ao começo.

Passa o dia e chega noite, adormeço
e vejo o recomeço pela janela.

Pela janela não me canso de olhar,
Vejo paisagens e a vida selvagem,
Vejo prédios gigantescos
E animais sem mais aconchego.

Um beija-flor veio me visitar,
Mas foi ligeiro porque a pressa já não é mais só do ser humano,
pois os animais também têm, pressa de voar, correr e nadar,
tudo isso, para você não o alcançar.

Pela janela, vejo tudo, só não vejo o amor profundo.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Psicodália – Paz e Amor



Fazendo um resgate ao movimento hippie, o Festival Psicodália vem trazer toda essa alegria e liberdade de expressão que na década de 60 foi a forma que a juventude achou para mostrar toda a sua revolta contra a injustiça e a desigualdade da sociedade americana.

O movimento também foi muito forte aqui no Brasil, mas perdeu a força na década de 70, ainda existem algumas comunidades hippies no Brasil como também no mundo todo, e o Festival Psicodália vem para juntar e manter esse movimento vivo. O festival apresenta bandas do seguimento, oficinas culturais, peças teatrais além do contato direto com a natureza.

Aproveitando o espaço, gostaria de deixar registrado essa forma de viver e de se expressar dos hippies que para muitos da sociedade, não passam de um bando de “loucos”, pois bem meus amigos, essa forma de viver pelo moldes atuais é a mais correta, os hippies vivem em comunidades, dividem tudo, respeitam a natureza, geralmente são vegetarianos e não são consumistas, além de exalarem a paz e o amor, assim todos nós fossemos “loucos” como eles.

Voltando ao festival, este ano acontece em Rio Negrinho-SC e tem início no dia 30 de dezembro de 2009 e vai até 03 de janeiro de 2010, intitulado como Psicodália de Ano Novo, serão cinco dias de contato com a natureza, onde a Paz e o Amor reinarão.

Mais um ano não poderei ir, mas conto os dias para fazer parte desse festival, quem sabe no ano que vem, né meus amigos?

Confira toda a programação clicando aqui.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Planeta corrompido



Tudo está muito estranho,

“seres humanos desligando o seu lado racional, para viverem de motivos, adesivos de promessas e confesso, certas horas da vontade de chorar” (Trecho da música “Sinais” de Tárcio Costa).

Essa é a realidade do nosso planeta, todos desligando o seu lado racional, crianças sendo arremessadas pela janela pelos seus pais, que já não sabem o que fazem para viver dentro desta grande confusão, crianças vivendo como adultos e os pais achando graça. Criança tem que ser criança e adulto tem que ser adulto, horas! Pedófilos espalhados pelo mundo, corrompe crianças inocentes, esses seres dementes que em sua mente doentia acabam com o brilho e o sorriso de um inocente. E mesmo parindo deitada no leito de um hospital, aguardando o filho em seus braços, mães precisam ouvir que seus filhos estão dopados, loucura de uma enfermeira em pleno distúrbio emocional. A correria faz Pais esquecerem filhos dentro do carro, o que é isso minha gente? Porque tanta pressa, essa velocidade deixa os valores e os amores para traz.

Pare, pare, pare.

Não acabe mais com o que já está acabado, lembre-se “a pressa é inimiga da perfeição” tenha calma, desacelere, ouça uma música, sinta o vento bater em seu rosto e navegue em seu pensamento, dê essa oportunidade para você enquanto há tempo, cuide da natureza e entenda a sua missão aqui na terra, que ás vezes não nos deixa entender, mas você tem um papel importantíssimo aqui, cuidar e respeitar, mas o que você está fazendo?

Destruindo, matando e sofrendo.

Cuide da água, ela é sua fonte de energia.
Cuide do verde, é ele que faz você respirar.
Cuide das crianças, elas são a herança do futuro.
Cuide do seu irmão, ele é um ser vivo como você.
Cuide dos animais, porque já roubamos o espaço deles.
E cuide de você para que não cometa mais erros.

Compreenda que o planeta funciona em plena harmonia quando existe harmonia entre os seres que aqui habitam.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Robin Williams – O sem noção



O consagrado ator estadunidense Robin Williams em entrevista ao programa, Late Show, de David Letterman, lamentou a participação da apresentadora Oprah Winfrey e da primeira-dama, Michelle Obama, não tenha ajudado Chicago na escolha da sede das Olimpíadas e disse;

“Espero que ela (Oprah) não esteja chateada com as Olimpíadas. Chicago enviou a Oprah e a Michelle. O Brasil mandou 50 strippers e meio quilo de pó. Não foi uma competição justa”

Caro senhor Robin Williams, infelizmente o senhor não terá acesso a esse texto, pois gostaria muito que tivesse, mas, quero deixar claro que esse país que o senhor se referiu, se chama Brasil, é o meu país e tenho muito orgulho dele, pois aqui respeitamos todos os seres humanos que vivem neste planeta, aqui existe um povo solidário, que não faz diferença de raça, de religião e aqui somos receptivos com todos os países, para o senhor entender melhor, no Brasil existe todos os países do mundo e aqui ninguém faz diferença de ninguém, sabe por quê? Porque enxergamos todos como seres humanos, coisa que o seu país não faz.

Somos orgulhosos de termos mulheres bonitas, sim, mas sobre drogas, isso não é um problema só do Brasil e sim, mundial, e o senhor não seria a pessoa mais indicada para falar sobre isso, já que senhor passou por várias clinicas de desintoxicação por uso de cocaína.

Fica aqui meu desabafo como Brasileiro.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails