segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Obras de Poeta - Lágrimas da Mãe Mundo


É legal sempre falar e divulgar as obras dos grandes artistas do nosso país, isso por que quando ouvimos música não é sempre que prestamos atenção na letra e a idéia do “Obras de Poeta” é fazer isso, mostrar e divulgar esses grandes poetas da nossa música.

Hoje o escolhido foi Mister Marcus Viana, o mago da World Music, na minha humilde e exclusiva opinião esse “cara” é o melhor músico de nosso país, mas sem rasgar muito a seda vamos falar de uma das músicas do Sagrado Coração da Terra, banda formada por Marcus Vianna que fez sucesso com a trilha sonora da novela Pantanal e foi considerada a melhor banda de Rock Progressivo da América Latina.

A letra escolhida é “Lágrimas da Mãe Mundo” uma letra singela que fala o que é viver em uma selva de pedras, ou melhor, em grandes cidades, onde começa a ficar difícil a sobrevivência e o que estes moradores estão fazendo com ela.

Confira a letra;

Letra da Música: Lágrimas da Mãe Mundo
Obra do Poeta: Marcus Viana
Interpretes: Sagrado Coração da Terra

Em teu sonho um anjo vem dizer
Que as estrelas tem sono e vão dormir
A mão rosa da aurora e a luz do sol
Parecem dizer acorda menina
Outro dia já vem

Rios de gente
Nuvens de fumaça
Que escondem a luz da manhã
Rugem os motores
Da grande cidade
E abafam a canção dos pardais

O mundo eh tão grande assim
Não pode caber
Nas mãos pequenas do amor
Que carregam a cada dia
Pequeninas sementes
Nos sonhos humildes
Que a cidade grande escondeu
Na sombra dos arranha céus

Outro dia já foi e você vem
Traz pra casa os sonhos que teceu
Mas se o mundo girar e o céu cair
O que vai restar saber resistir
Imune aos vendavais
Volta pra casa
De novo aos meus braços
Esquece o que o mundo te faz

Vem que eu te ponho no colo
Te conto uma historia
Te faço dormir

O mundo eh pequeno demais pra conter
A imensidão do amor
As lágrimas da estrela mãe
Oceano infinito
Que aos poucos abre fendas
Nos corações de pedra
Nos muros desse velho mundo

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Medo


Às vezes fico me perguntando por que tenho tanto medo, que medo é esse que nos faz ficarmos tão apreensivos? Se não sabemos o que é, porque temos medo? Essa é uma das perguntas que fica no meu subconsciente e que me dá medo.

O escuro me dá medo, como a luz do dia me traz o medo, medo da violência que assombra as grandes e pequenas cidades, não estou protegido mesmo morando no interior, mesmo sendo caipira e tendo orgulho deste “rótulo” não estou livre dessa temida violência. O trabalho me dá medo, não sei por que, talvez seja por que as pessoas nos assombram todos os dias para esconder o medo delas, mas assim vou vivendo, aprendendo e tentando a perder o medo.

O novo também me traz medo, medo do que eu não conheço ou talvez desconheça que realmente seja o medo, sinceramente, o medo se completa com a coragem, o medo às vezes nos faz virar corajosos e mesmo com o pé a traz, dou um passo a frente e finjo não ter medo. Quero sempre ter medo para não conhecê-lo, pois se conhecer talvez não tenha mais, mas a dúvida tem que continuar e com isso nos livrar da coragem dos covardes, dos sem noção, afinal esta é a minha e a sua nação, que freqüentemente nos traz medo.

São tantas notícias negativas que o medo bate a toda hora, estamos nos prendendo dentro dos nossos lares e todo esse medo é passado para nossos filhos e assim o medo não acaba e prolonga sua existência na mente e no rugir dos dentes. Ouço sussurros, olho para todos os lados e uma bala perdida me encontra, caio, ouço mais sussurros, a minha visão embaraça, perco minhas forças e adormeço, nessa guerra de interesses próprios o medo não aparece e quem sofre sou eu, é você, somos todos nós.

O socorro não chega... quem dera se chegasse, talvez perdesse o medo, mas estou aqui deitado aguardando um anjo me resgatar e com suas asas me levar, mas os anjos também estão com medo, porque o último que veio ajudar, um ser roubou as penas de suas asas, pois o ladrão disse que era para fazer o seu travesseiro, esse sonho poderia acabar, mas não acaba e se repete todos os dias e nós estamos com medo e assim vamos vivendo e convivendo com o medo e com a coragem da vida que nos mostra as idas e não as voltas de toda essa insanidade.

A música toca e se faz “poema”, letra maravilhosa de Frejat e Cazuza interpretada por Ney Matogrosso que canta e encanta, falando e interpretando o “medo”.

“Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo
Hoje eu acordei com medo, mas não chorei
Nem reclamei abrigo
Do escuro eu via um infinito sem presente
Passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim, que não tem fim
De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua
Que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito
Porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás”

E assim o medo prevalece na coragem de um ser humano que tem medo do que ainda estar por vir ou acontecer.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Me Leva Brasil – Chico da Lata

Estou lendo o livro “Me leva Brasil” do Mauricio Kubrusly baseado no quadro que estreou no ano de 2000 no Fantástico. No livro Mauricio Kubrusly conta as histórias descobertas com suas andanças pelo nosso Brasil de meu Deus, passou por 150 cidades, percorreu 400 mil quilômetros em cinco anos e trouxe muitos “causos” para contar.

Como adoro histórias e “causos” estou amando o livro, mas ainda não acabei, pode ser que outras histórias passem por aqui.

Uma que eu li e conheci foi á história do Chico da Lata, não, ele não é um viciado em crack e muito menos vive na crackolândia, o Chico da Lata é um engenheiro nato, vive na cidade de Rondonópolis-MT e no passar dos anos foi guardando tudo o que era descartado pelas pessoas para construir a sua casa.

Garrafas PET, garrafas de vidro, pneus, latas, moedas antigas e tudo o que você imaginar, na casa do Chico tem, o projeto é muito bem elaborado, criativo e de muito bom gosto. A casa não para de ser decorada e mexida, pois o Chico tem idéia todos os dias.

Vive da ajuda dos visinhos, que sempre dá um prato de comida e algumas roupas usadas, quando precisa comprar cimento para sua obra, o Chico cata umas latinhas e vende e com o dinheiro compra o cimento.

Chico da Lata é um Brasileiro que no tempo que nem se falava em reciclagem ele já fazia, pois sua casa é inteiramente de material reutilizado.

Parabéns Chico, a sua casa é linda e seu papel como ser humano é emocionante e serve de exemplo para muitos que vivem em castelos e mansões com muito dinheiro e instrução e não tem o mínimo de cuidado com o nosso planeta.


Casa do Chico.


Árvore feita de garrafas PET.


O simpático Chico da Lata.


Banco


Essa é uma de suas obras de arte.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Quero


Quero viver pra sempre, para poder levar
o amor em todos os lugares que eu for.

Quero sorrir para levar a alegria onde só exista tristeza.

Quero ser gentil com todos para que eu possa
receber a gentileza em dobro.

Quero abraçar com todas as forças o inimigo que pensa
em ser maior ou melhor do que eu, pois não sou
e nem serei maior, ou melhor, que ninguém.

Quero ter bondade para poder estender as minhas
mãos para o mundo e sentir a emoção de ajudar.

Quero amar o meu irmão todos os dias e
poder sentir o seu amor para comigo.

Quero ver todo o universo em harmonia.
Quero ver você cuidar do natural.
Quero sentir a garoa no meu rosto.
Quero sentir o amor com todos os gostos.

Quero ter simplicidade para poder viver da minha forma.
Quero ter humildade para saber receber o não,
apesar que o sim seria bem melhor.

Quero ter paciência para tentar entender o tempo.
Quero ter tolerância para saber esperar.
Quero amar como não se houvesse o amanhã.

E espero que o querer não seja um apenas,
e sim, uma realização.

E que o amor que tenho possa levar união
em todos os lugares que eu passar.

E que em cada lugar eu possa fazer um
amigo e que junto comigo, leve o amor infinito.

Gui Venturini - 16/11/2009

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Dia da Bandeira

Hoje dia 19 de novembro comemoramos o Dia da Bandeira, e eu como tenho orgulho de ser Brasileiro não poderia deixar esta data passar em branco, afinal, sou verde e amarelo.

Hoje vou hastear a minha bandeira aqui no blog e gostaria que meus amigos blogueiros também hasteassem, pois somos Brasileiros e com muito orgulho.

Sei que muito tem que mudar aqui em terras tupiniquins, mas para mudar tenho que conhecer e honrar a história do meu país, por isso, levanto esta bandeira e convido você a levantar a sua.

Hoje posso até ser esta estrela solitária acima do “Ordem e Progresso”, amanhã, sei que eu e meus irmãos seremos uma constelação.




segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Computador, aproximação ou distanciamento?


A evolução e a tecnologia nos faz aprender e compreender assuntos que às vezes fogem dos nossos ensinamentos, nos leva para vários lugares com apenas alguns cliques, pensando assim lhe pergunto, o computador veio para aproximar ou distanciar as pessoas?

Esse é um assunto que sempre me deixa com uma interrogação na cabeça, hoje temos acesso a tudo através do computador, trabalhamos com ele, carregamos junto com a gente como se fosse um bichinho de estimação e ele está mais presente na nossa vida do que ás vezes um membro da nossa família.

Mesmo depois do trabalho quando chegamos em casa, depois dos afazeres, quem é o nosso companheiro? O computador. Passamos horas em frente dele, conhecemos pessoas dos mais determinados lugares, ou seja, do mundo inteiro, mas você já parou para pensar, que já fez grandes amigos pela internet, mas nunca teve a oportunidade de tocar neles. Por isso que essa dúvida me assombra, com todas as facilidades que o computador e a internet nos possibilitam, tal como; lojas online, bancos, falar com mais freqüência com os filhos distantes, com um amigo ou até mesmo com o seu amor, será que é uma ferramenta que nos aproxima ou nos distancia?

Um bom exemplo foi o apagão que houve na semana passada, todos ficaram loucos, não tinham acesso á internet, não tinham televisão, não tinham nenhum tipo de informação durante algumas horas, pra ser sincero pra mim não mudou em nada, já estava na cama dormindo quando aconteceu e fiquei sabendo pela manhã no jornal, por isso que digo, tudo é costume ou a forma de agir, se todos tivessem dormindo, nada tinha mudado, mas estamos acordados, não paramos, estamos rápidos demais e o computador nos possibilita essa rapidez.

Hoje existe até namoro pela internet, meu amigo que coisa chata! Não sou retrogrado, mas exite coisa mais gostosa do que poder sentir o calor de um ser humano, poder dar um aperto de mão, um abraço apertado e bater um bom papo olho no olho, por isso que no meu pensamento toda essa evolução nos fez ficar muito mais frios, estamos perdendo alguns costumes como; olhar no olho de uma pessoa pela manhã e dizer bom dia, pedir licença como entra em algum lugar que não faz parte do seu convívio e o pior, estamos perdendo o jeito de escrever com as mãos, ou seja, com as famosas canetas esferográficas, se você achar que estou exagerando faça um teste, pegue um lápis ou uma caneta e escreva o seu nome no formato manuscrito e veja se a sua caligrafia continua a mesma.

Toda essa evolução passa a criar uma confusão não só em nossa cabeça, mas está criando uma confusão em todo o planeta, quando digo planeta, falo da energia que natureza rege sobre o universo, a mãe natureza é a maior criadora de todos os tempos, não cansa de criar e recriar, mas ela está começando a desistir, pense nisso.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Quanto dói uma saudade


Tento entender o quanto é duro viver longe de alguém, principalmente quando esse alguém não mais acariciará o seu rosto e muito menos afagará seus cabelos, não mais te abraçará e não mais te beijarás.

Penso não poder dividir minhas alegrias e minhas tristezas com você que eras tão atencioso e caridoso.

Há quatro anos perdi você meu Pai que não foi um super-herói, pois se tivesse sido estaria hoje comigo, porque super-heróis não morrem, mas meu Pai era um homem comum, ou melhor, um homem fora do comum, sempre tinha a palavra certa na hora certa, sempre calmo e coerente me fazia ser diferente.

A cada ano que passa fica mais difícil viver longe de você Pai, fui tão forte na sua despedida e hoje me sinto tão fraco com sua ausência, você que esteve sempre presente hoje me deixa triste e carente.

Pai, como eu te amo.
Pai, obrigado pelos puxões de orelha.
Pai, que falta você me faz.

Hoje vivemos em mundos diferentes, mas saiba que a cada vitória que existe em nossas vidas, são todas pra você que sempre torceu e vibrou com cada uma delas. Todos por aqui estão bem, claro, cada um vivendo da sua forma, mas sempre respeitando os ensinamentos éticos que você deixou.

Alguns filhos se preocupam em saber o que os Pais deixarão de herança quando eles se forem, o que o meu Pai deixou foi saudade e caráter, uma herança que não existe valor, pois só quem tem sabe o quanto vale.

Pai...quanto mais o tempo passa mais falta sinto de você, de poder te abraçar, te beijar e de te olhar. Na minha lembrança carrego seu amor, seu carinho e sua preocupação, hoje sou forte como você, mas fraco perante tanta saudade.

No mês do seu aniversário dedico está carta a você que me fez ser sensível, sério e honesto e paro para pensar...O maior ensinamento que um Pai pode deixar é o caráter e o senhor deixou mais do que isso, e por isso eu lhe digo, Pai, como eu te amo e quanta saudade sinto de você.

Por enquanto eu e meus irmãos estamos dando seqüência a sua história, pois um dia iremos nos encontrar, mas isso só quando chegar à hora e quando chegar quero te abraçar e te dizer quanta falta você me faz.

"Em vida não houve ninguém mais amado, na morte não haverá ninguém mais lembrado."

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails